Buscar

É preciso resolver o passado se estivermos dispostos a mudar

Desde que a oportunidade de ter mais tempo para mim surgiu, tenho buscado diariamente o meu verdadeiro papel neste mundo. Parece profundo demais, mas acredito que é isso que nos faz pessoas melhores, não só com nós mesmos, mas também com o próximo e isso também nos faz buscar melhores escolhas para tentar seguir uma vida mais iluminada e aberta às oportunidades.

Porém, percebi que posso tentar qualquer novo caminho, estar aberta às mudanças (como tanto já disse aqui no blog), mas nada adianta se eu ainda tiver o meu presente fincado no passado, com um coração cheio de rancor e mágoas.

Não tem sido nada fácil, admito, porque todas as lutas, desafios e humilhações que vivenciei me fizeram uma pessoa mais forte, porém mais rígida e exigente. Fazer o caminho inverso tem sido um trabalho diário, mas cada pequeno passo dado tem sido recompensador!

Tenho retomado antigas emoções, entendido melhor as situações e pessoas para tentar me relacionar da melhor maneira possível, conforme a essência do outro que, posso tentar mudar de todas as maneiras, não funciona. Nunca mudaremos ninguém. Então, por que não adaptar-se à cada uma delas?

Meu caminho ainda é muito longo para que eu realmente mude, resolva o meu passado e siga cada vez mais adiante. Mas gostaria de compartilhar hoje com você este sentimento e te convidar a refletir sobre isso também:

Há algo do passado (pessoa, emoção, rancor, trauma, mágoa, etc.) que tem, de alguma forma e por menor que seja, influenciado nas suas decisões, no seu jeito de encarar a vida e como seguir adiante?

Não é uma questão de deixar o passado de lado, pois tudo o que já aconteceu construiu o que somos hoje, mas é tornar os pontos negativos em positivos. Um passo de cada vez e sei que vamos conseguir!

#experiências #compartilhamento #históriasdevida #comportamento #aprendizado #pessoas #autoconhecimento

Posts recentes

Ver tudo

Eu, assim como você, estou preocupada com o futuro e passei por um luto nas primeiras duas semanas da quarentena até aceitar que os meus planos naquele momento teriam que ser adiados e que as ações qu