Buscar

Começar a mudar é fácil. O difícil é esperar que as coisas aconteçam…

Nessa época de crise no país, tenho visto muita gente recomeçando ou que pretende recomeçar a vida num novo caminho, de uma forma diferente da que havia vivido até então. Parece contraditório, mas é sempre em meio às grandes dificuldades que o ser humano se reinventa e se readapta.

Eu sempre falo aqui para as pessoas estarem abertas às mudanças, às coisas novas, porque só assim perceberemos as oportunidades ao nosso redor e não adianta querermos o novo, se no fundo, não estamos e nem queremos estar prontos para isso.

Mas e quando resolvemos mudar, ter uma nova vida, vamos à luta e nada acontece? 

Eu sei, é difícil! A ansiedade em saber se as decisões que tomamos e as opções que escolhemos vão dar certo nos “mata” dia após dia. São aquelas perguntas e afirmações que martelam a nossa cabeça o dia todo como “Será que é isso que eu tenho que fazer?”, “Onde fui me meter?”, “Eu não sou boa o suficiente para isso!”, “O que estou fazendo errado?”, etc.

Eu luto contra a ansiedade há muitos anos (contei um pouco sobre isso neste post), então eu compreendo estes questionamentos. Ao mesmo tempo que, a oportunidade de ter um tempo só para mim após anos de loucura de trabalho e estudos, tem me desafiado a trabalhar a paciência e a compreender melhor que há um espaço entre a minha decisão de mudar até o retorno efetivo da minha mudança.

Infelizmente, vivenciamos uma época em que queremos tudo para ontem e que a velocidade das informações e o peso das cobranças são absurdos. Assim, temos o nosso processo de desenvolvimento pessoal, psicológico, emocional e profissional muito desequilibrado.

Num dos vídeos da psicóloga, Flávia Melissa, eu ouvi algo muito interessante que me fez pensar demais. Sabe os questionamentos? “Eu não sei fazer isso direito!”: então, aprenda. “Eu não faço isso como Fulana”: compare-se ao mundo e não seja nunca você mesmo, não seja ninguém. “O que estou fazendo errado?”: será que está fazendo errado mesmo?

É o parar para analisar o que você tem feito, se você realmente mudou no seu cotidiano, se não é hora de analisar outras oportunidades ou até mudar o caminho…

Se você faz a sua parte todos os dias, seja paciente. Lute contra todas essas vozes na sua cabeça que te dizem que você não é capaz e se alimente de coisas boas, aprendizados e novos conhecimentos. Desenvolva-se! A ansiedade em si não vai te fazer alcançar o resultado de forma mais rápida, na verdade, só vai te angustiar ainda mais sobre um tempo que você precisa apenas esperar para colher os frutos.

#experiências #compartilhamento #direcionamento #leitura #comportamento #aprendizado #ansiedade

Posts recentes

Ver tudo

Eu, assim como você, estou preocupada com o futuro e passei por um luto nas primeiras duas semanas da quarentena até aceitar que os meus planos naquele momento teriam que ser adiados e que as ações qu