Buscar

Estamos Viciados em Ser Infelizes | Indicação de Leitura

Você já ouviu falar da Economia de Atenção?

Não nesses termos, mas talvez você tenha uma noção do que se trata, assim como eu, por ser algo tão presente em nossas vidas.

A atenção das pessoas virou o recurso mais procurado e desejado nos dias atuais. Ao ler a indicação desse post, você vai entender melhor a dimensão dos estudos, esforços e ações para que isso aconteça, mas basicamente, as empresas não querem primeiramente o seu dinheiro, isso é consequência, pois o que elas mais querem é a nossa atenção.

Tendo a nossa atenção, a empresa pode ter qualquer coisa e por isso, te manipular completamente. E adivinha onde mais encontramos, ativamente, esse tipo de economia!

“Quanto mais você usar o celular e menos viver, mais as grandes companhias de internet estão vencendo. E a magia delas é fazer você crer que quer estar ali no celular. Porque é prazeroso. Porque elas descobriram como te manter ali.”

E ultimamente, tenho conversado muito sobre os comportamentos causados pelas redes sociais e é assustador perceber quantas pessoas e como elas realmente acreditam que as suas vidas e as de outras resumem-se apenas pelos conteúdos dessas redes.

E é em situações como estas que vemos quantas intrigas e discussões surgem porque Fulano não te seguiu de volta ou não curtiu a sua foto ou além disso, a ausência de empatia já que, o intuito das redes sociais, é fazer com que o usuário olhe cada vez mais para si do que a conexão com um todo e por isso, tenha uma necessidade muito grande de ter o seu ‘ser’ identificado em tudo.

Ou seja, temos vivido épocas em que não há liberdade de expressão nenhuma, pois ao mesmo tempo que todos devem fazer tudo, ninguém pode fazer nada. E como evoluímos?

“O like existe pra isso. Validar e presentear nossas inseguranças. Nos fazer sentir bem pela reciprocidade social. Se sentir parte de um grupo.”

Consegue perceber o tamanho do problema e das consequências que podemos viver e já vivemos por conta dessa ‘Economia de Atenção’? E o mais revoltante é saber que isso é causado propositalmente pelas empresas, que não percebem o quanto têm mudado o comportamento humano para algo tão prejudicial.

No próprio texto é possível ver um levantamento feito nos Estados Unidos onde, pela primeira vez, o número de suicídios ultrapassou o de homicídios. E sabe porquê? Os jovens têm saído menos de casa, pois querem passar mais tempo na Internet, acreditando nas “relações” criadas através das redes, porém sem contato físico/pessoal devido ao medo de se frustrarem e assim, com menos convívio social e menos preparados para enfrentar as circunstâncias da vida, muitos encontram no suicídio, a resolução para os seus problemas.

A leitura abaixo é longa, mas vale cada frase, estudos e reflexões apontadas, pois se quisermos mudar essa busca “inconsciente” pela infelicidade e tornar o mundo melhor, de forma geral, precisamos nos desintoxicar desse looping nocivo o mais rápido possível.

Clique aqui para ler o artigo na íntegra https://papodehomem.com.br/estamos-viciados-em-ser-infelizes/

Estamos Viciados em Ser Infelizes | Indicação de Leitura

#evolução #desenvolvimentohumano #comportamento #redessociais #autoconhecimento

Posts recentes

Ver tudo

Eu, assim como você, estou preocupada com o futuro e passei por um luto nas primeiras duas semanas da quarentena até aceitar que os meus planos naquele momento teriam que ser adiados e que as ações qu