Buscar

O Vício nas Telas Avança Silencioso | Indicação de Leitura

Uma preocupação que já tenho abordado há algum tempo aqui e que, segundo o psicólogo Adam Alter, avança silencioso: o vício nas telas, principalmente, dos smartphones.

E de quem é a culpa? Dos fabricantes de celulares, desenvolvedores de aplicativos, redes sociais ou nós mesmos?

Adam explica em entrevista a esta pergunta e achei interessante refletir que, apesar das empresas, nós somos os responsáveis pelas nossas atitudes, pela nossa vida.

Não sou hipócrita e assumo que, ainda mais agora na maternidade, durante as mamadas, sonecas e madrugadas adentro, o celular tem sido a minha companhia, mas tenho pensado e me preocupado muito mais com o futuro que se tem previsto por aí de que, por conta das redes sociais, temos uma geração, ironicamente, menos social e por isso, mais depressiva.

Entendo e sei que a depressão não é algo que uma pessoa pode controlar e escolher ter ou não, pois há muitos outros geradores, mas o que estou propondo aqui é que nós possamos nos conscientizar que, por mais que outros façam 1001 possibilidades de, cada vez mais, prender a nossa atenção numa tela de celular e nos fazer menos abertos ao novo e às discussões e trocas de informações, somos nós que escolhemos qual caminho tomar e que atitude ter diante de tudo isso, enquanto ainda há tempo de evitar que tudo isso nos torne pessoas infelizes.

Por isso, acho super válida a leitura para abrir nossos olhos e mentes a respeito e acima de tudo, para pensarmos muito bem sobre o que temos feito com relação a isso, com relação a nós mesmos e poder ajudar quem está ao nosso redor sobre esse perigo silencioso.

Para conferir a entrevista na íntegra, clique aqui https://brasil.elpais.com/brasil/2018/04/24/tecnologia/1524577831_486816.html

Vício das Telas | Indicação de Leitura

#leitura #indicaçãodeleitura #autoconhecimento #ansiedade #depressão

Posts recentes

Ver tudo

Eu, assim como você, estou preocupada com o futuro e passei por um luto nas primeiras duas semanas da quarentena até aceitar que os meus planos naquele momento teriam que ser adiados e que as ações qu