Buscar

Somos especiais e diferentes em tantos sentidos, então por que nos comparamos tanto aos outros?

Há uma frase que me marcou muito num dos cursos online da Bel Pesce:

“…quão improdutivo é tentarmos ser como as outras pessoas. Somos especiais. Cada um tem que aprender o que cada um é. Esse é o nosso diferencial. Isso é o que nos faz brilhar.”

E quanto tempo da minha vida já perdi fazendo comparações com a vida alheia? E me diz, pra quê?? Ter pensamentos assim não vão mudar nada a minha vida ou a vida alheia, então por que continuar fazendo as comparações??

Ok, a mídia não ajuda nada com a lavagem cerebral que faz sobre estereótipos ideais e alguém da sua família, amigos ou o povo da Internet vai te lembrar que você não é o tipo “ideal” que tanto se fala na mídia.

Mas voltando para o lado lógico e racional do assunto…

Ninguém é perfeito e acredito muito que cada um nasceu para cumprir uma missão nessa vida, de acordo com o melhor que sabe e pode fazer. Se não fossemos diferentes um do outro, não atenderíamos todas as necessidades do mundo. 

Fora que o seu parâmetro de sucesso é diferente de qualquer outra pessoa, assim como felicidade, amor, prosperidade, etc, porque temos valores diferentes. Então, por que queremos tanto ser iguais aos outros e ter o que o outro tem?

Não faz sentido nenhum, não é mesmo? 

Mas como mudar este pensamento, Akemi?

Vou te dar uma dica que tenho usado em mim nos últimos meses: ao invés de pensar “Fulana(o) já é bem sucedida profissionalmente com menos de 30 anos”, reverta o pensamento para você e indague sua situação “Qual foi a minha jornada até aqui?” ou “Qual o próximo passo que preciso dar para alcançar meu objetivo?”.

Viu a diferença? Assim, o pensamento também é mais positivo e duvido que, com foco, você não consiga realizar seus sonhos, ajudando quem precisa e não se comparando às pessoas.

Pronta(o) para mudar isso?

#experiências #compartilhamento #comportamento #aprendizado #autoconhecimento

Posts recentes

Ver tudo

Eu, assim como você, estou preocupada com o futuro e passei por um luto nas primeiras duas semanas da quarentena até aceitar que os meus planos naquele momento teriam que ser adiados e que as ações qu